Loading...
Dança do Ventre 2017-11-09T19:00:13+00:00

O Brasil é um país onde a comunidade árabe está bem difundida, são turcos, libaneses, egípcios, marroquinos…todos unidos no orgulho e na divulgação de sua cultura. Dentro dessa comunidade de imigrantes árabes encontramos seus filhos, costumo chamá-los de “árabes-brasileiros” ou “brasileiros-árabes”, como quiser. Eu sou um exemplo vivo disso, sou filha de um Egípcio, pai nascido no Cairo, e de uma Brasileira, vinda do interior de São Paulo. Quando crianças nos apresentam duas culturas bem diferentes, religiões diferentes, línguas diferentes, e tudo em um mesmo país sem precisar viajar horas de avião cruzando todo um oceano.

Raks el Sharki” ou dança do oriente, na tradução literal da palavra, ou “BellyDance” como é conhecida mundialmente, ou simplesmente “Dança do Ventre”. Acredito que em muitas famílias a dança chegue como algo mágico, como uma extensão do mundo árabe aqui no Brasil. Descobri a dança do ventre através de uma prima egípcia. E foi ela a minha primeira professora e responsável por despertar em meu corpo, mente e coração essa paixão pela dança. Minha primeira apresentação não foi para um público de centenas de pessoas, em um teatro, nem mesmo em um palco, foi na mais tradicional e característica forma árabe: no interior de uma casa singela, amável e repleta de alegria. Na cidade de Alexandria (Egito), dancei para minha avó (de quem herdei meu nome), a qual se encheu de orgulho ao nos ver dançar para ela.

Apesar de bela a dança do ventre nem sempre é vista com bons olhos. Alguns árabes e descendentes não deixam suas próprias filhas, irmãs e esposas dançarem. Isso ocorre simplesmente por um único motivo: ignorância. Meu pai costumava sabiamente dizer ao ser perguntado por mim sobre esse assunto que “um pai árabe não deixa sua filha dançar quando este pai não vê arte na dança, minha filha dançar me enche de orgulho!”. Acredito que dentro da extensa comunidade árabe presente no Brasil essa idéia seja pouco difundida, os árabes são pessoas alegres e festivas. A dança na sua origem traz alegria, felicidade e beleza onde quer que ela ocorra. Em reuniões e almoços de famílias árabes a dança ocorre como uma maneira de celebração, uma constatação da alegria de todos os presentes.

texto de Aida Gamal

A prática da Dança do Ventre traz inúmeros benefícios tanto para o corpo quanto para a mente e a alma, os mais visíveis são:

* modela e enrijece os músculos dos braços, ombros e costas

* corrige postura, promovendo a reeducação postural

* alonga todos os músculos

* afina e define cintura

* fortalece quadril e glúteos

* fortalece pernas, principalmente coxas e panturrilha

* fortalece o ventre diminuindo barriga

* aumenta flexibilidade e resistência física

* desenvolve a coordenação motora e melhora o equilíbrio

* auxilia perda de peso e/ou manutenção do corpo (uma aula de uma hora, em um bom ritmo, pode queimar até 300 calorias)

* desenvolve a auto-estima

* destaca a feminilidade

* estimula a criatividade

* alivia o stress do dia a dia

Lembrando que para aproveitar todos os benefícios da dança do ventre é necessária a regularidade da prática dos exercícios, sempre, é claro, orientados por um bom profissional